Clicky

INCLUSÃO DIGITAL

Desigualdade econômica acentua exclusão digital do campo no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 30/10/2020 ... Convergência Digital

Com uma das agriculturas mais prósperas do planeta, o Brasil vai relativamente bem em um estudo que mediu a qualidade das conexões à internet no meio rural em 24 países da América Latina e Caribe. No agregado, o país aparece com o mais alto índice de conectividade rural (46,9%), enquanto em países como Honduras, Peru e Bolívia ele fica entre 19,6 e 21,1%. 

Os dados fazem parte do estudo “Conectividade Rural na América Latina e no Caribe – Uma Ponte para o Desenvolvimento Sustentável em Tempos de Pandemia”, realizado pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Microsoft.

No total, 32% da população na América Latina e Caribe, ou 244 milhões de pessoas, não acessam a serviços de internet. A diferença de conectividade é mais acentuada quando se separa populações urbanas e rurais. Em alguns casos a diferença chega a 40 pontos percentuais. Do total de pessoas sem acesso à internet na região, 46 milhões vivem em territórios rurais.

Como tem 54% de toda a população rural da região, o Brasil acaba distorcendo os dados – até por isso, o estudo apresenta números com e sem o Brasil. Ainda assim, as conclusões são graves. Primeiro, porque 77 milhões de pessoas não contam sequer com padrões mínimos de conectividade. Além disso, a distância entre o acesso disponíveis na cidade e no campo continua imensa: enquanto 71% da população urbana da América Latina e do Caribe têm opções de conectividade, o percentual cai para menos de 37% nas áreas rurais – um abismo de 34 pontos percentuais. 

E aí o Brasil, mesmo com um agregado relativamente positivo, também mostra suas disparidades. Dos cerca de 5 milhões de estabelecimentos rurais do país, 72% não tem conexão com a internet – ou seja, 3,6 milhões deles. E a conectividade existente é praticamente toda concentrada nas grandes propriedades agropecuárias. É que dos 3,6 milhões de estabelecimentos rurais sem conexão, 91% têm menos de 100 hectares. E metade está no Nordeste. 

Aponta o estudo que “várias questões apresentam as desigualdades no interior do país e indicam que a falta de acesso à rede móvel 4G está associada ao baixo produto interno bruto per capita e à menor densidade populacional, com exceção de alguns estados, como Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Também se indica que no país há uma ampla cobertura 2G e 3G, enquanto que a 4G se concentra no sul e centro-leste, âmbito onde se desenvolve a agricultura de precisão”. 

O trabalho também mostra que as discrepâncias se refletem no acesso de conexão nas escolas. Segundo o estudo, no Brasil 73% dos estudantes de escolas rurais contam com acesso à internet em suas residências. É um percentual que na América Latina só fica atrás do Chile (86%) e do Uruguai (82%). Já quando é considerada a conectividade das escolas rurais, a posição brasileira despenca.

“Em relação ao acesso a dispositivos, no Brasil, as estatísticas mostram profundas diferenças entre o meio rural e o urbano: só 43% das escolas das zonas rurais dispõe de computadores, em comparação com 97% nas zonas urbanas”. Adicionalmente, o estudo indica que “na Argentina, Colômbia, Panamá, Brasil, Peru e México, menos de 20% têm disponibilidade de largura de banda ou velocidade de internet suficientes”. 


CCT da Câmara quer rediscutir impacto da venda da Telebras no satélite brasileiro

Proposta de debate foi feita pelo deputado Vitor Lippi (PSDB/SP). Parlamentares querem convocar a estatal, o ministério das Comunicações, o TCU e o ministério da Defesa. Contrato com a Viasat será central no debate.

Mapa de Conectividade avalia oferta de banda larga em 27 mil escolas

Desenvolvida pelo NIC.br, ferramenta permite identitificar acesso à internet, redes disponíveis, medições de desempenho e pode chegar às 140 mil escolas estaduais e municipais.

Engenharia social é um risco grave para crianças e adolescentes

A Internet se tornou o ar que respiramos e para os jovens mais ainda e cabe aos pais terem a noção que segurança da informação é educação de base, recomenda o pesquisador de ameaças na Trend Micro e fundador da comunidade Mente Binária, Fernando Mercês.

Toxicidade da Internet: seu filho pode não ser a vítima, mas o agressor

"Tem uma série de regras de educação, valores da família, formas de se comportar que não valem só para o jogo, para a rede social, valem para a vida”, diz a professora e psicoterapeuta, Ivelise Fortim.

Cert.br: Pais aprendam com as crianças a fazer uma Internet Segura

"Vamos ouvir mais do que falar. Os pais precisam fazer os filhos falarem como atuam na Internet. É uma aprendizagem mútua e necessária", recomenda a analista de segurança Miriam von Zuben. 

Mais de 70% das escolas no Brasil assumem casos de cyberbullying

É imperativo que se trate a Internet como um lugar real e que se responsabilize as pessoas pelos seus atos para evitar os ataques, observou a especialista em comportamento e psicopedagoga Érica Alvim.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G