Clicky

Claro e Sky se interessam pela Oi TV, mas questionam modelo de venda

Convergência Digital* ... 18/08/2020 ... Convergência Digital

A Claro e a Sky demonstraram interesse em comprar a Oi TV, mas afirmam que é preciso entender melhor as condições impostas pela própria operadora. A Oi estipulou o preço em R$ 20 milhões, mas com a obrigação de pagar o satélite- algo em torno de R$ 1 bilhão, e também ter acesso à negociação de programação.

"Toda vez que algo está à venda no mercado, a gente dá uma olhada. Desde que não pague para olhar, não custa nada", respondeu o CEO do Grupo Claro, José Félix, durante painel nesta terça-feira, 18/08, o primeiro dia do PayTV Forum 2020, evento promovido pelo TELETIME e Tela Viva. O executivo, no entanto, já olhou de forma enviezada para a negociação do conteúdo.

"Quem comprar vai seguir fornecendo programação, mas ele vai ser um revendedor de programação? Como seria isso? Será que a Discovery vai aceitar que seja redistribuído? Fico pensando por aí também", declarou o executivo, segundo reportagem do portal Teletime. Já no caso do contrato com a operadora satelital SES, argumenta Félix, há um vínculo apenas com a distribuidora. "A empresa de satélite é um pouco mais fácil, imagino. Porque, preservando a receita dela, provavelmente não terá nenhum óbice."

O CEO da Sky Brasil, Estanislau Bassols, também disse que a companhia "está olhando" a Oi TV. "A área de M&A da AT&T está olhando com absoluta atenção, é algo que lhe cabe", diz. "Não sei se vamos participar ou não." Mas, assim como Félix, Bassols também tem questionamentos. "Eu vi o rascunho [da proposta], e me parece que vão ter que melhorar bastante a redação. Entendo que segue com obrigações de satélite, os ativos do satélite, mas com custo de programação que talvez seja alto pela pouca escala que eles ainda detêm", afirma.

"Se essas condições não virarem condições de mercado, imagino que seja pouco possível um player entrar pagando esse valor por satélite, e outras variáveis que podem fazer esse negócio decolar ou não", afirmou. E, no caso de a operação morrer, isso seria negativo para todo o ecossistema. "Acho importante ter em mente que a opção negociada, com quem quer que seja, se for Claro, Telefônica [ou outros], é melhor do que não ter nada."

Fonte: Portal Teletime


Internet Móvel 3G 4G
Leilão do 5G nos EUA bate recorde e apura US$ 81,2 bilhões

A Verizon ficou com a maior parte das licenças e vai pagar US$ 45,5 bilhões. A frequência licitada foi a banda C (3,7GHz a 4,2 GHZ). AT&T e T-Mobile US também compraram licenças para ofertar o 5G. Tal como aqui no Brasil, as teles terão de compensar as empresas de satélite para a limpeza do espectro com o montante de US$ 14 bilhões.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Uso da faixa de 6 GHz avança no mundo. 2021 terá dispositivos e celulares Wi-Fi 6E

No Brasil, conselho diretor da  Anatel decide se vai destinar os 1200 MHz da faixa ao uso não licenciado, em movimento semelhante ao que já se deu nos Estados Unidos. Movimento semelhante acontece na Europa e no Oriente Médio.

Veja mais matérias deste especial    •    Inscrição gratuita - Clique aqui

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

Minicom: “Queremos o 5G standalone, que é o 5G de verdade, não um 4G plus”

Ao concluir viagem à Europa e Ásia para falar com fabricantes de equipamentos, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, avisou que o governo também defende a exigência do release 16 do 3GPP no leilão da quinta geração. 

Claro e Vivo se isolam contra a exigência do 5G pleno

TIM, provedores regionais, pequenos prestadores e operadoras competitivas reforçaram aos parlamentares que 5G pleno não custa mais nem atrasa implementação no Brasil.

Anatel publica regras para fim das concessões de telefonia

Regulamento de Adaptação do STFC traz prazos e procedimentos para Oi, Telefônica, Claro, Algar e Sercomtel decidirem sobre a migração do regime público para privado. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G