17/07/2020 às 13:21
Telecom


4G LTE faz Neoenergia avaliar 5G para missão crítica no Brasil
Por Ana Paula Lobo e Pedro Costa

A transformação digital da Neoenergia no Brasil virou um exemplo para o grupo Iberdrola no mundo. Tanto que o projeto 4G LTE privado, que entrará em pleno funcionamento ainda este mês, quando será iniciada a operação da última das seis torres na região de Atibaia, em São Paulo, está servindo de piloto para todas as distribuidoras do grupo, conta em entrevista ao Convergência Digital, o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.

O 4G LTE privado não funciona como a principal rede para as atividades da Neoenergia, e sim como backhaul, infraestrutura para agrupar os dados e enviá-los para os escritórios da distribuidora, em Atibaia ou em Campinas. O uso da rede 4G beneficiará inicialmente os 75 mil consumidores da Neoenergia, por meio da distribuidora Elektro, nas cidades de Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Nazaré Paulista. A distribuidora teve autorização da Anatel para fazer o projeto em 3,5GHz.

"O 3,5GHz é bom? ele foi uma oportunidade. Mas o nosso interessante é maior nas faixas subgiga, por conta do serviço de missão crítica", aponta Fontana. O executivo também adianta que vai avaliar como será o leilão do LTE privado no 4G e não descarta a possibilidade de compartilhar sites, acesso, torre e frequência com as operadoras.Sobre o leilão 5G, Fontana diz que vai avaliar, principalmente, se houver o espectro dedicado. "A baixa latência é essencial nos projetos para ter serviços em tempo real".

O executivo fala ainda da possível massificação, enfim, dos medidores inteligentes e argumenta que eles são cruciais. "Nao há veículo elétrico sem medidor inteligente, sem rede de baixa latência", exemplifica Fontana. Também conta o impacto do projeto SISCON, que está mudando o coração da rede da Neoenergia.

"É como trocar o ERP da companhia com ela funcionando e numa pandemia", ressalta. A iniciativa vai envolver o novo Sistema de Controle da empresa, unindo tecnologia e mudança de processos para aprimorar a gestão das redes elétricas de suas concessionárias – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS) –, beneficiando mais de 14 milhões de clientes.  Fontana também fala do uso do WiMAX, em Fernando de Noronha, e da implantação de rede de fibra ótica própria no Recife e no Guarujá. Assistam a entrevista com o superintendente de smart grids da Neoenergia.


Powered by Publique!