TELECOM

Oi fecha projeto-piloto com MOB Telecom e avança no mercado de atacado

Convergência Digital* ... 25/03/2020 ... Convergência Digital

A Oi avança na sua estratégia de se tornar uma fornecedora de infraestrutura de atacado. Em comunicado, a operadora informa que fechou um memorando de entendimento (MoU, na sigla em inglês) para operação conjunta nas expansões dos projetos de internet via fibra com a MOB Telecom. O objetivo da Oi é garantir um mix de receitas no segmento não-regulado em áreas como conexões IP, "Fiber to the City", "Fiber to the ISP" e "Fiber to the Tower", que devem ter crescimento expressivo com a expansão da banda larga de alta velocidade em fibra e do 4,5G e 5G.

Além do projeto-piloto com a MOB Telecom, a partir do segundo semestre a Oi pretende levar esse modelo de parceria para outros pequenos e médios provedores em todas as regiões do país, com o desenvolvimento também de um modelo de franquias. No projeto-piloto, o modelo comercial prevê em um primeiro momento que a Oi forneça o backbone e a transmissão, garantindo todos os benefícios de resiliência, caching de conteúdo e melhor latência da sua rede.

Já a MOB Telecom fica responsável por todas as etapas dos serviços aos clientes, como atendimento, oferta de produtos, canais de venda, faturamento e cobrança, além da instalação da última milha de fibra até a residência. Em uma segunda etapa, a Oi prevê uma evolução para o modelo mais tradicional de franquia, no qual além de ter acesso ao uso da rede e transmissão da Oi, o parceiro terá direito ao uso da marca e portfolio padronizado da Oi, que também será responsável pelas áreas de atendimento, faturamento e cobrança.

Para a Oi, o segmento de Atacado é uma das prioridades do plano estratégico de transformação da companhia, já que sua infraestrutura de mais de 370 mil quilômetros de rede de fibra ótica garante a maior capilaridade nacionalmente entre as operadoras no mercado brasileiro. O centro da estratégia da Oi é a aceleração dos projetos de fibra ótica que possibilitam não só a expansão dos produtos oferecidos ao segmento Residencial, mas garantem também sustentação para as iniciativas da companhia no mercado B2B e no Atacado.

"A infraestrutura de rede de fibra ótica da Oi garante à companhia enorme capilaridade e capacidade de atender o mercado com abrangência e resiliência inigualáveis. Essa infraestrutura, não replicável, constitui um diferencial estratégico que possibilita à Oi uma qualidade superior no atendimento a empresas prestadoras de serviços de telecomunicações, provedores de internet e empresas de infraestrutura envolvidas na cadeia de prestação desses serviços, e pretendemos intensificar a captura de oportunidades proporcionadas por essa vantagem competitiva", explica o CEO da Oi, Rodrigo Abreu.

A Mob Telecom está presente em 15 estados do país, com atuação forte nos segmentos B2B, Wholesale e de banda larga em pequenas e grandes cidades, sendo o parceiro ideal para o projeto-piloto da Oi. Com uma organização administrativa de alto padrão e estrutura técnica de ponta, a MOB tem grande sinergia com a Oi, ja que suas redes são complementares, garantindo robustez aos backbones das duas companhias no norte e no nordeste. Além disso, a  Mob Telecom e Oi já têm um modelo de parceria de sucesso no segmento de B2B desde 2018, com o projeto de conectividade do Banco do Nordeste, entregue em 2019.  

 


Londrina quer vender Sercomtel por R$ 130 milhões

Tentativa de privatização da operadora, que tem cerca de 400 mil acessos de telefonia e internet, foi remarcada para 18/8, na B3. Prefeitura admitiu o parcelamento na aquisição para atrair interessados nessa nova tentativa.

Refarming vai trazer 5G antes do leilão da Anatel, diz Rodrigo Abreu, da Oi

Executivo adverte, porém, que é necessária uma massificação de verdade na infraestrutura ótica no País. Para Abreu, o leilão tem de acontecer em 2021. “O Brasil não pode atrasar mais”, pontuou.

STF decide que Lei estadual que proíbe fidelização é constitucional

Para a Ministra relatora Rosa Weber, a lei do Rio de Janeiro apenas veda a fidelização, sem interferir no regime de exploração ou na estrutura remuneratória da prestação dos serviços. O objetivo, segundo ela, é apenas a proteção dos usuários.

Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

Proposta foi apresentada em reunião do Conselho Diretor da Anatel.  Mas a faixa é usada pela Força Aérea Brasileira para aplicações de telemetria. Agência sugere destinar 30 MHz para satélites, como forma de evitar interferência.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G