INOVAÇÃO

Europa pode banir por 5 anos reconhecimento facial

Convergência Digital ... 17/01/2020 ... Convergência Digital

A União Europeia estuda banir tecnologias de reconhecimento facial de áreas públicas por até cinco anos, para permitir que haja tempo para maior amadurecimento desses sistemas de maneira a prevenir abusos. É uma das propostas a ser apresentada pela comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager.

“Isso significaria que o uso de tecnologias de reconhecimento facial por atores públicos ou privados em espaços públicos ficaria proibido por um período de 3 a 5 anos durante o qual poderia ser identificada e desenvolvida uma metodologia eficiente para medir os impactos dessa tecnologia e instrumentos de gestão de riscos”, diz o documento de 18 páginas a ser apresentado à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

A suspensão do uso de reconhecimento facial é uma resposta aos repetidos indicadores de que essas tecnologias ainda cometem muitos erros, especialmente quando os “alvos” são pessoas não brancas. 

A nova liderança da UE, que assumiu no fim do ano passado, prometeu tratar de uma legislação que aborde questões de inteligência artificial nos primeiros 100 dias. O primeiro passo é a apresentação de um relatório até o fim de fevereiro com as possíveis opções a serem levadas à diante. 


Cloud Computing
IA Carol, da TOTVS, liderou força-tarefa por soluções no combate à Covid-19

A ferramenta de inteligência artificial  da empresa de ERP foi usada para desenvolver soluções emergenciais como registro de ponto remoto e de entrega de alimentação pelos apps, conta o VP da companhia, Marcelo Eduardo Cosentino. Sobre a LGPD, o executivo diz que a tarefa mais complexa é mudar o tratamento do dado nas companhias.


Indústria de semicondutores reage à liquidação da Ceitec

Em nota, associação nacional do setor indica “preocupação” com a medida. “Liquidação distanciará ainda mais o Brasil do conhecimento de ponta.”

OBr.Global promove bootcamps Live sobre empreendedorismo

Aceleradora, especializada em internacionalização das empresas, ensinará técnicas adotadas no Vale do Silício, nos EUA.

Política de informática foi feita para o hardware, mas deu certo com o software

Para Sílvio Meira, a estratégia que o Brasil quer desenhar para Inteligência Artificial precisa desafiar à produção nacional para trazer os resultados pretendidos.

Open Banking faz XP ir às compras no Brasil

XP anunciou a aquisição de participação majoritária na fintech Fliper, responsável, hoje, por mapear R$ 7 bilhões lem investimentos na sua plataforma.

Software livre venceu e desapareceu. Agora tudo é serviço.

Como lembrou o cientista e professor Sílvio Meira, ao participar do Convergência Digital em Pauta, até o Windows passou a rodar sobre fundação Linux.  O mundo, hoje, é de quem tem o serviço como diferencial de concorrência.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G