Home - Convergência Digital

Redes privadas no 5G impulsionam o crescimento econômico do País

Luís Osvaldo Grossmann - 11/11/2019

A Qualcomm aproveitou os debates do Workshop 5G no Brasil para reforçar a potencialidade de a regulação abrir espaço no Brasil para a adoção de redes privadas no 5G. Ao apontar para casos na Alemanha, Holanda e Hong Kong, a desenvolvedora de chips sustenta que há ganhos econômicos inerentes a essas redes. 

“Nas quatro verticais indicadas pelo governo, cidades, indústria, saúde e agronegócio, as redes privadas podem ter impacto forte. Por isso a abertura regulatória é muito importante”, defendeu a gerente de relações governamentais da Qualcomm, Milene Pereira. 

“Desde questões de coberturas a demandas muito específicas, ou porque as operadoras locais não se interessam nesse modelo de negócio podem levar uma empresa a avaliar essa implementação. Ou porque querem total controle das operações e que nenhum dado saia do ambiente da fábrica, além do controle para aplicações em constante desenvolvimento”, afirmou. 

“O Brasil, que tem indústria, tem entretenimento, tem várias frentes que podem se beneficiar com redes privadas. Portanto, se pudermos otimizar isso, haverá beneficio para o país. Na proposta do edital, o conselheiro Vicente Aquino chegou a reduzir a faixa de 26 GHz. Entendemos que isso já é uma avaliação de como pode ser contemplado. A agência querer analisar a implementação de redes privadas é importante e através da consulta pública já podemos contribuir nesse sentido também.”

Segundo a gerente da Qualcomm, “se deixar só com as operadoras, elas podem não ter interesse em implementar rede onde a empresa precisa. Fábricas normalmente ficam isoladas. Mas ela quer avançar e precisa da operadora, precisa do 5G naquela área. A ideia de dar licença já para a indústria, para a vertical, é que ela tenha essa liberdade. Se não for interesse da operadora, vai poder implementar da mesma forma. E a operadora pode fazer a parceria, fornecer expertise.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/07/2020
Nokia lança software de atualização à distância de redes 4G para 5G

14/07/2020
Edge Computing: caminho sem volta para ter 5G e IoT

14/07/2020
Reino Unido politiza 5G; tem custo de até R$ 10 bilhões e deflagra embate global

14/07/2020
Reino Unido se alia aos EUA e bane a Huawei do 5G

13/07/2020
Reino Unido define futuro da Huawei no 5G

08/07/2020
5G da Claro será na faixa de 2,6 GHz

08/07/2020
Faria: 5G depende de posição do presidente Jair Bolsonaro

07/07/2020
Nokia usa RAN aberto para provocar Ericsson no 5G

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site