TELECOM

Anatel ajusta regras de IoT, mas tributo ainda é maior barreira

Luís Osvaldo Grossmann ... 10/09/2019 ... Convergência Digital

No campo regulatório, a Anatel propôs ajustes que buscam facilitar a oferta de serviços de internet das coisas no Brasil. Como apresentou em audiência pública nesta terça, 10/9, a agência está sugerindo ajustes pontuais em obrigações de qualidade e portabilidade, além de abordar paralelamente certificação e numeração. No mais, entende que não deve mexer em outorga e espectro. 

“Nosso arcabouço de serviços e destinação de radiofrequências são convergentes. Então os serviços, sejam de interesse coletivo como telefonia móvel ou banda larga, ou restrito, como serviço limitado privado, já permitem uma infinidade de aplicações em cima dessas outorgas. Da mesma forma as frequências. Por isso entendemos que não deveríamos criar um serviço nem dar uma destinação específica”, explica o gerente de regulamentação da Anatel, Felipe Lima. 

Por isso, além de remover exigências de qualidade e portabilidade, que não fariam sentido na conexão entre coisas, a Anatel dará maior flexibilidade aos acordos de operadoras virtuais, MVNOs. A ideia é simplificar a vinculação como credenciado, permitindo mais de um vínculo para facilitar operações em diferentes regiões do país. 

Como repetidamente apontado durante o debate, os ajustes pontuais propostos são suficientes e aplaudidos pelos agentes de mercado. “A gente opera há dois anos com o arcabouço regulatório atual e não temos problema. Por isso não vemos necessidade de um serviço IoT. Já a questão da certificação é importante, porque operamos especialmente com espectro não licenciados”, apontou o diretor de ecossistema da WND, José Almeida.

Questões de certificação e de numeração, segundo a agência, estão sendo tratadas nos regulamentos específicos. O que foi muito reiterado na audiência, no entanto, é que a principal mudança desejada está fora da competência da agência reguladora. 

“Simplificar a regulamentação, manter o alinhamento internacional, é muito importante. Mas o mais relevante é a questão tributária, que falamos com muita insistência. Não adianta termos uma regulamentação facilitadora da internet das coisas se o negócio não para de pé. Com o tíquete médio de faturamento, a oferta não fica em pé com a tributação que está aí. E sem resolver esse problema estamos fadados ao insucesso”, disse o diretor da Telebrasil, Sérgio Kern. 


Internet Móvel 3G 4G
Time inglês quer usar Zoom para ter 2 mil torcedores na luta contra o rebaixamento

West Ham negocia com a direção da Premier League para ter torcida no estádio via aplicativo de videoconferência. A volta do campeonato inglês ainda não tem data marcada, mas clube quer driblar o isolamento social com a tecnologia.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

STF usa caso de lei paulista para cassar decisões sobre antenas no Rio, Minas e DF

Relator de três ações similares, Gilmar Mendes adotou o mesmo entendimento firmado pelo Supremo quando derrubou legislação estadual de São Paulo que restringia instalação de antenas de celular. 

Algar Telecom contabiliza aumento de 26% na carteira de clientes B2B

Operadora diz que não sentiu efeito da Covid-19 nos resultados do primeiro trimestre, mas reforçou o caixa como forma de precaução, com a emissão de R$ 150 milhões em debêntures em abril. O objetivo da captação foi garantir um colchão para “o cenário de incertezas”.

MPF quer que STF autorize acesso a dados de celular sem ordem judicial

Para MPF, é lícito extrair informações dos aparelhos no momento da prisão de suspeitos. 

Ericsson: Compartilhamento de espectro permite 5G às teles antes do leilão

Fabricante diz que, com as frequências do 4G é possível habilitar o 5G antes da licitação da faixa de 3,5GHz. Sobre o leilão 5G, a Ericsson diz que a decisão, ao final, será das operadoras. "Mas temos que tomar o cuidado para não ficarmos para trás", disse o presidente da Ericsson Latam Sul, Eduardo Ricotta.




  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G