Home - Convergência Digital

MediaTek quer levar Inteligência Artificial para o consumidor em IoT

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo - 15/08/2019

Internet das Coisas, Inteligência Artificial e 5G acirram a disputa no mercado de chipsets entre os fabricantes tradicionais do mercado, afirma o country manager da MediaTek no Brasil, Samir Vani. Em entrevista ao Convergência Digital, o executivo admitiu que o mercado de telefones celulares está chegando ao seu patamar máximo no mundo, com os aparelhos, agora, mais sofisticados ganhando uma sobrevida maior no uso familiar, com uma durabilidade de até cinco anos, o que movimenta o mercado de reposições de usados, em especial em países emergentes, como é o caso do Brasil.

A MediaTek, observou Vani, se mantém atenta ao segmento super midi e planeja levar o máximo possível de funcionalidades para o celular aliando um bom preço para o consumidor. "Infelizmente o aumento do dólar não ajuda e terá de ser repassado, mas na Mediatek estamos trabalhando com novas áreas como Internet das Coisas, onde queremos colocar Inteligência Artificial na borda, nos equipamentos com contato com o consumidor final e ter o chip embutido com Inteligência Artificial, que é o caso do P90, que além dos processadores já conhecidos embarca uma nova unidade batizada de APU, que é uma unidade de IA", conta o country manager da MediaTek.

No Brasil, sem dar detalhes, Vani destaca a atenção especial para Internet das Coisas. "Esse é um mercado sem igual e vamos trabalhar muito com IA nos roteadores e nos dispositivos que estão nas mãos dos consumidores", pontuou. Um dos desafios do P90 - que foi lançado no exterior e não tem previsão de chegada no mercado brasileiro - é dar maior capacidade de duração para bateria, com eficiência energética. "Os aplicativos estão cada vez mais poderosos e demandam mais processamento. Hoje o desafio da indústria é aumentar a vida útil de uma bateria. As pessoas querem uma bateria durando 16,17 horas. A Inteligência Artificial chega para ajudar e muito", relata o executivo.

A direção para Inteligência Artificial é respaldada pelos números. Consultorias de mercado projetam uma movimentação de US$ 1,2 trilhão em 2018 (aumento de 70% em relação ao ano anterior) para IA. Para 2022, a expectativa da consultoria Gartner é de que esse filão movimente nada menos que US$ 3,9 trilhões. E há muito por vir como o reconhecimento biométrico e os assistentes pessoais, que permitem que o usuário interaja com dispositivos como caixas de sons inteligentes ou mesmo smartphones por meios de comandos de voz, de forma intuitiva e natural.

Em evento realizado esta semana pela MediaTek, em São Paulo, o especialista Chewen Wu, Principal Engineer da MediaTek para a região das Américas, fez uma demonstração de aplicação de Inteligência Artificial com captura de movimentos em tempo real e controle de robôs, com o uso do Helio P90, que consegue mapear as ações do corpo humano e foi adaptada a um robô. "Foi uma demonstração do que é possível fazer com IA embutido no chip, mostramos que levar inteligência é possível para diferentes aplicações, entre elas, por exemplo, dar uma visão real dos obstáculos aos carros autonômos", antecipou o country manager da MediaTek, Samir Vani.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/02/2020
Centros de Inteligência Artificial podem capturar R$ 1 milhão da FAPESP

05/02/2020
Softex seleciona projetos de inteligência artificial para aportes de R$ 250 mil

04/02/2020
Inteligência Artificial: ame ou odeie, ela mudou a regra do jogo

30/01/2020
99 investe em inteligência artificial no Brasil

28/01/2020
MCTIC prorroga consulta sobre inteligência artificial

17/01/2020
Europa pode banir por 5 anos reconhecimento facial

07/01/2020
Inteligência Artificial chega à grade do ensino técnico no País

17/12/2019
Inteligência Artificial tem de ser obrigatória no ‘vestibular’ japonês

12/12/2019
TIM contrata IBM e Capgemini e une nuvem e inteligência artificial

12/12/2019
MCTIC coloca estratégia para Inteligência Artificial em consulta pública

Destaques
Destaques

Governo do Brasil ainda avalia restringir Huawei na implantação do 5G

MCTIC estuda a publicação de um novo Decreto, ou em forma de Portaria, com normas para cibersegurança específicas para o setor de telecomunicações. A estratégia Nacional de Segurança Cibernética, recém-lançada pelo Governo, tratou - de forma genérica- o tema 5G.

5G exigirá uso de requisitos mínimos de Segurança Cibernética

Tecnologia é apontada como 'uma revolução na comunicação de dados, no potencial de emprego de equipamentos de Internet das Coisas e na prestação de novos e disruptivos serviços".

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site