MCTIC, Anatel e operadoras fazem força-tarefa por mais antenas no Brasil

Ana Paula Lobo ... 22/08/2018 ... Convergência Digital

Uma força-tarefa unindo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Anatel, a indústria de equipamentos e as operadoras de telecomunicações vai viajar pelas principais capitais do país, em especial naquelas onde há uma grande dificuldade para a implantação de ERBs, como São Paulo, Porto Alegre e o Distrito Federal, sobre a necessidade urgente de os municípios adotarem a Lei Geral das Antenas, aprovada em 2015, no Congresso Nacional. A informação foi dada pelo MCTIC e pela Anatel no Workshop Os desafios para a ampliação dos serviços de telecomunicações nos municípios, realizado na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), nesta quarta-feira, 22/08.

Dados apresentados pela Febratel mostram que, hoje, o Brasil tem 90 mil antenas instaladas, mesmo montante da Itália, que tem o tamanho do Rio Grande do Sul. Na China, onde há uma política pública para massificar os serviços digitais, 1 milhão de antenas estão sendo instaladas por ano. Para o presidente-executivo da Febratel, Eduardo Levy, é preciso acabar "com essa questão do quero sinal, mas não coloque uma antena perto de mim". "Sem antena, num futuro próximo, os novos serviços digitais estarão inviabilizados", advertiu.

A cidade de São Paulo, por exemplo, está há um ano para aprovar o PL das Antenas (PL 751/13), na Câmara dos Vereadores. Na capital paulista, em cinco anos, apenas um pedido de licenciamento feito pelas operadoras foi autorizado. No Distrito Federal, a legislação existente foi revogada em 2016 e, até agora, há um vácuo legal, que também impede a expansão das ERBs. "O 5G está chegando e a necessidade de antenas vai se multiplicar por 15. Sem antenas,não há novos serviços digitais", advertiu Levy, da Febratel e do SindiTelebrasil.

A força-tarefa, liderada pelo MCTIC e pela Anatel, vai trabalhar num ponto considerado crítico à aprovação das antenas: a questão da radiação não ionizante (RNI), uma vez que há o mito que a antena pode vir a causar câncer. Para Artur Coimbra, do MCTIC, o argumento não se justifica, uma vez que é pedida a questão apenas para as ERBs celulares, enquanto que as linhas de transmissão de energia e as antenas de radiodifusão atuam com potências muito acima das ERBs. "Esse mito precisa ser colocado abaixo. Há um controle feito pela Anatel, que tem competência para tratar desse tema", completou o diretor do MCTIC.


Internet Móvel 3G 4G
Lei de inovação de Florianopólis bancou case brasileiro de rastreamento da Covid-19

Pandemia forçou spinoff de startup brasileira de turismo e criação do Smart Track. “Enquanto Google e Apple pensavam em desenvolver, nós já tínhamos sistema operando. Somos a única plataforma mundial que faz rastreamento sem geolocalizacao”, diz a CEO Jucelha Carvalho.

Anatel recria 10 colegiados após extinção por Decreto presidencial

Uso do Espectro, Defesa dos Usuários, Prestadoras de Pequeno Porte, Aferição da Qualidade, Ofertas de Atacado, Acompanhamento de Redes são alguns dos grupos reestabelecidos pela agência. 

Reclamações contra oferta de banda larga crescem 40% com a quarentena da Covid-19

Queixas na Anatel cresceram especialmente a partir de março. No conjunto dos serviços, agência recebeu 1,52 milhão de reclamações entre janeiro e junho. Também houve um aumento de 20% com relação à telefonia móvel.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G