Convergência Digital - Home

Brasil é o país onde a Salesforce mais cresceu no mundo

Convergência Digital
Por Roberta Prescott - 17/05/2017

A operação brasileira da Salesforce foi a que mais cresceu no ano passado comparada com todos os demais países, mesmo com o Brasil atravessando crises econômica e política, revelou o presidente da subsidiária brasileira, Mauricio Prado. Para ele, a crise criou um acelerador para os negócios da companhia por aqui, uma vez que as empresas priorizaram melhorar a interação com seus clientes.

Mundialmente, a companhia, fundada em 1999 e uma das pioneiras na oferta de software na nuvem, pretende dobrar de tamanho nos próximos três anos, alcançando um faturamento de US$ 20 bilhões. A empresa fechou o ano fiscal 2017, encerrado em 31 de janeiro deste ano, com US$ 8,39 bilhões e espera chegar aos US$ 10 bilhões no próximo período.

O pano de fundo para a projeção otimista de crescimento é a quarta revolução industrial, que agrega tecnologias como computação em nuvem, mídias e redes sociais, mobilidade, internet das coisas e inteligência artificial. "O consumidor tem um poder brutal nas mãos e isto cria um desafio enorme para as empresas", destacou durante sua apresentação na abertura do Salesforce World Tour, realizado nesta quarta-feira 17/5, em São Paulo.

Na era em que a experiência do cliente impera, a Salesforce aposta que a mudança do sistema de relacionamento com o consumidor (CRM, na sigla em inglês), de modo a ter uma visão única e com todas os canais integrados, está na base da transformação digital das empresas. "Somos os protagonistas da transformação digital e em muitos casos temos liderado este movimento em algumas indústrias", disse Prado.

Neste sentido, Eduardo Campos, vice-presidente de engenharia de soluções da Salesforce, destacou que são cinco as transformações do software empresarial: inteligência, velocidade, produtividade, mobilidade e conectividade. Um CRM mais inteligente conta com inteligência artificial e o futuro da produtividade inclui documentos conversacionais, mobilidade, colaboração sem e-mail e trabalho em equipe online e off-line, explicou o VP.

Vencendo crises

Os anos de crises têm impulsionado os negócios da Salesforce, disse o presidente da empresa para o Brasil Mauricio Prado. Ele explicou que, entre 2008 e 2009, ou seja, período da crise financeira global, a companhia mudou de patamar, aumentando de tamanho. "As empresas precisam fazer melhor e mais rapidamente", justifica.

No Brasil, a Salesforce atua com escritório local há três anos — antes disto era somente via parceiros ou clientes que se relacionavam com a empresa diretamente nos Estados Unidos. No ano calendário 2016, a subsidiária registrou o maior crescimento entre todas as operações mundiais da companhia. "As empresas pensam em como vender mais com menos recursos e como tirar mais dos recursos que têm. Além disto, toda vez que forem interagir com clientes, precisam ser mais certeiras", explicou Prado.

A expectativa é que a operação brasileira supere os números de 2016 no ano calendário 2017 (fiscal 2018). "O momento econômico é melhor e a transformação digial está na agenda das empresas", diz Prado.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Startup cria time de cientistas de dados para avançar nos negócios

Com sede nos EUA, a Fligoo atua nos segmentos de finanças, educação e saúde, e sabe da relevância de ter profissionais capacitados para lidar com os dados. "Prepare-se o tempo todo. Estude. Não espere a necessidade chegar", aconselha Leandro Ferrado.

Destaques
Destaques

Quase metade das empresas vai investir em edge computing na América Latina

Pesquisa da IDC Brasil, realizada para a Oi Soluções, revela ainda que 66% das empresas deverão ativar digitalmente seus modelos operacionais e terão o trabalho remoto incluído de forma permanente em suas políticas de recursos humanos.

Eletrobras contrata Analytics para acelerar jornada digital

Estatal, responsável por 1/3 da capacidade elétrica do Brasil, quer usar os dados para manter as melhores práticas de governança e investir em IoT, chatbots e robôs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site