Home - Convergência Digital

Roubo de hackers é preocupação nº1 dos usuários das carteiras móveis

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 21/02/2017

Uma pesquisa global revela que o uso das carteiras móveis cresceu no Brasil e chegou a 36% da população que tem celular. Em 2014, esse número era de 19%. Mas há questões a serem tratadas. Isso porque para 32% dos entrevistados a preocupação número um é com o roubo dos dados pelos hackers, seguido por preenchimento de formulários com número de cartão de crédito ou número da conta (20%) e compras online (14%).

No Brasil, 86% dos entrevistados disseram ainda que depois de vivenciar fraude ou violação de dados parariam de comprar com o comerciante que teve o problema de fraude. No mundo, esse índice está em 65% dos consumidores. Os números fazem parte da pesquisa "Global Consumer Survey: Consumer Trust and Security Perceptions" (Pesquisa Global de Consumidores: Confiança do Consumidor e Percepção de Segurança, em tradução livre),  realizado pela ACI Worldwide e Aite Group e que entrevistou mais de 6 mil consumidores de 20 países, incluindo o Brasil.

De acordo com o levantamento, as pessoas de todo o mundo estão mais preocupadas com a segurança de suas informações financeiras e de pagamento presentes em computadores, do que com os dados guardados em uma mobile wallet. O estudo revelou, também, que apenas 43% das pessoas confiam na capacidade das empresas de proteger essas informações. Além disso, mais de 80% das pessoas em todo o mundo acreditam que seus dados estão seguros nas mobile wallets.

À medida que os pagamentos mudam para os celulares e a fraude via dispositivos móveis continua a aumentar, os consumidores devem ficar atentos à proteção de seus telefones móveis. Por todo o mundo, clientes têm se adaptado aos avanços da tecnologia, incluindo o crescimento das mobile wallets e a migração para compras online – o que impacta suas percepções com relação a segurança dos dados de pagamento.

Segurança de dados

Globalmente, os consumidores não confiam totalmente na habilidade das empresas de guardar seus dados financeiros e de pagamento. Apenas nos Estados unidos (54%), Índia (60%) e Tailândia (51%) mais da metade dos compradores confiam que suas informações estão protegidas. No Brasil, 47% dos consumidores confiam nas empresas para proteger dados. Mundialmente, 43% dos entrevistados se sentem da mesma forma.

"No Brasil, 34% das pessoas confiam na segurança da mobile wallet, mais que os 21% alcançados em 2014. Esse dado reforça que os consumidores tendem a adotar e confiar cada vez mais nas plataformas digitais. Ao mesmo tempo, traz um desafio para os negócios, pois as fraudes também vão migrar para o online. Bancos, lojas e outras instituições financeiras devem ficar alertas e investir em segurança e na educação do cliente, para que nós possamos trabalhar juntos na prevenção de fraudes", diz Cleber Martins, diretor global de Solução de Pagamentos de Risco da ACI Worldwide.

A adoção da mobile wallet é mais forte em regiões onde as opções de pagamentos eletrônicos são menos maduras, como na Índia (56%), Tailândia (51%) e México (38%), se comparadas à mercados de cartões mais maduros como nos Estados Unidos (17%) e no Canadá (14%). No Brasil, a adoção da mobile wallet está em torno dos 36%. Em 2014, era de 19%. Parte disso é porque o número de telefones fixo caiu nos últimos anos, então os telefones celulares permitiram que os consumidores superassem os gaps na infraestrutura de comunicação e pagamentos. Para receber uma cópia do estudo, acesse https://www.aciworldwide.com/fraud-survey

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

30/04/2020
Oi cria carteira digital por WhatsApp para pessoas de baixa renda

02/03/2020
Banco Carrefour libera fatura pelo WhatsApp

20/02/2020
MetrôRio passa a aceitar cartões de débito nos pagamentos por aproximação

09/01/2020
BC contrata Dinamo Networks e faz acontecer o pagamento instantâneo

05/08/2019
Carteiras digitais impulsionam transações NFC no Banco do Brasil

13/05/2019
Itaú dispensa 'maquininha' e lança carteira digital para pagar e receber pelo celular

31/01/2019
Mais de 2000 postos da Shell passam a aceitar pagamento via app do Mercado Pago

31/08/2018
Brasileiros querem usar o WhatsApp para pagar contas

28/08/2018
Celulares e redes sociais turbinam transferências de dinheiro no mundo

26/06/2018
Samsung entra na briga contra PayPal, PagSeguro e Mercado Pago no Brasil

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site